Roquemrou Entrevista – Forfun

22 08 2010

@reecampos

Então é isso, agente vai correndo atrás, entrevistando, conhecendo e mantendo o contato com alguma galera.
Essa foi sem dúvida a melhor pra mim, humildade sempre FORFUN !

1 – Depois de dois anos de polisenso como vocês se sentem ?

Muito felizes.

2 -Como vem sendo preparado o próximo trabalho, e as influências do disco novo trazem toda história do forfun ?

Vem sendo preparado num ritmo tranquilo,e com a oportunidade de ensaiar bastante cada música de maneira mais orgânica,coisa que não fizemos nos discos anteriores.

3 -Ainda falando em Polisenso, como foi esta mudança brusca de estilo, de Hardcore para um Rock com influências do Reggae e letras bem filosóficas?

Foi bem natural e sincera,apenas deixamos as águas levarem.

4 – E a campanha “Legalize Já”, que vocês uma vez falaram em seu blog? Poderiam esclarecer um pouco mais esta campanha?

Na verdade não foi uma campanha,foi uma manifestação particular(Danilo) de um pensamento no nosso Blog.

Acredito que a criminalização da maconha não tem fundamentações médicas.Foi uma regra que teve origem no Estados Unidos na década de 30 por questões econômicas (algodãoXcânhamo) e afim de interromper o fluxo imigratório vindo do México por exemplo.Hoje em dia pessoas são torturadas e mortas nas favelas ,e usuários de maconhasão estorquidos diariamente enquanto o álcool é o maior responsável por agressões e acidentes de carro no Brasil.

A maconha tem grande potencial econômico(uso têxtil da fibra de cânhamo por exemplo),e medicinal(glaucoma,enjôo,…) além de ser uma planta linda e maravilhosa … acho uma loucura covarde a sua criminalização.

5 – Qual a influência que Jorge Ben e Chico Science com Nação zumbi tem diretamente na música de vocês ?

Diretamente não sei ao certo,mas acho que há alguns anos atrás qd começamos à escutar esses mestres,nos sentimos mais à vontade para misturar ritmos e balanços,assim como compor letras de assuntos mais “diversos”.Exergar a beleza nas coisas mais simples.

6 – O uso do sampler vem já se não me engano desde um pouco antes de 2005, mas agora ele é muito mais presente … como veio pra vocês essa pegada das maravilhas tecnológicas musicais ?

Através de projetos eletrônicos que conhecemos há alguns anos atrás.O Prodigy foi o primeiro.Com o Liminha conhecemos o primeiro synth,e desde então não paramos mais de pesquisar timbres eletrônicos.

7 – E a influência do Reggae? Ainda estará presente nos CDs posteriores com grande frequência, como no Polisenso?

Acho que cada vez mais.Mas muito importante frizar que é apenas uma influência mesmo,está longe de ser um reggae.

8 – Como funciona o processo de gravação do CD, desde o lugar de gravar até onde mixar ?

No lugar de gravar se gravam os instrumentos separadamente em canais,no lugar de mixar os “volumes” desses canais são alinhados à fim de dar um sentidos pro disco. Muitas vezes isso é feito no mesmo lugar. Ainda tem a masterização onde se mexe no todo,como se alinhasse um só canal com todos os outros inseridos, e assim sai.

9 – Quanto tempo demoram mais ou menos para compor uma música (desde letra até arranjos)?

Varia muito, podem ser 3 dias como 2 anos.

10 – O que vocês acham das letras das músicas do Forfun ? Daonde surge tanta inspiração compilada com conhecimento ?

Nós gostamos. Agradecido pelo “tanta inspiração” também.

A inpiração não é específica não…vem da vida de uma forma geral. Somos rodeados de pessoas muito boas e interessantes,isso ajuda muito,e tentamos na medida do possível pequisar e estudar antepassados,passados e presentes artistas que muitas das vezes nos dão belas dicas!

Muitos sentidos !

11 -É gratificante e inspirador saber que a música de vocês toca a alma de muitas pessoas ?

Muito obrigado de novo!

Nos sentimos sim, gratificados e realizados!

12 – E qual a opinião de vocês sobre a atual cena musical brasileira e as gravadoras ?

A atual cena musical brasileira,falando de forma bem ampla,está maravilhosa na minha opinião.Está muito bem representada no reggae por exemplo com Natiruts, Ponto de equilíbrio, …o Rap com o a Flora, Bill e Emicida, DeLeve… a mpb com o Camelo, Mombojó,…o pop com o Jota, Fresno, Skank,…

Só o rock que poderia ser mais variado…mas tem o Rancore que é bem legal,além de milhões de bandas que não citei aqui.Lá fora estamos muito bem representados também,com o Ben Jor,Marisa Monte,Seu Jorge,Nação,Felguk,…O problema é que o que rola na grande mídia ainda,em sua grande maioria,é uma panela de influências e favores.

Minha opinião sobre as gravadoras é que elas são necessárias.Nós por exemplo criamos a nossa,onde trabalhamos,afim de organizar o lançamente do disco cronologicamente com a sua divulgação,clipe,prensagem,distribuição,venda,merch,…enfim tudo que envolve a carreira musical.

Acho que vc quis me perguntar sobre as grandes gravadoras não é?Então…em sua grande maioria(o que não é muito pois quase todas estão quebradas),são grandes corporações que vizam o lucro acima da ética muitas vezes.Preferimos Empresas menores e mais variadas.Em todos os setores.

Nossos governos infelizmente não incentivam os empresas menores e nacionais.Ficamos escravos da cultura estrangeira,e temos que reverter isso.

Abraço forte para todos do blog!

Danilo e Forfun

GALERA AGORA É SÉRIO

Agente tá com um projeto onde queremos incentivar as grandes massas votantes a nos ajudar com a idéia de tentar acabar ou reduzir ao mínimo o imposto aplicado sobre a música, onde ao lançar a revista capricho ou qualquer outra você não paga nada e quando lança um CD, paga um puta imposto !

 

Anúncios

Ações

Information

4 responses

13 09 2010
Amanda Pereira

Esses caras aí do forfun mandam muito, não só nas músicas mas em tudo que dizem e eu concordo com o Danilo em relação a legalização da maconha e e que temos bons representantes da músicas brasileira. Só acho que o pop e principalmente o rock estão muito fracos, e essas bandinhas aí como cine, restart, HORI sinceramente… Não merecem um terço dos prêmios que estam recebendo, no meu ponto de vista, não consigo enxergar um pouco de talento que seja, não sabem fazer músicas de verdade, não sabem tocar e muito menos CANTAR, acho que as pessoas deveriam se conscientizar mais, além de se tornar algo cansativo ver sempre as mesmas bandas lá. Temos tantos talentos (alguns o Danilo até citou) porque não dar oportunidade? E fora as bandas mais antigas (que na minha opinião, são as melhores) e um grande exemplo delas é o próprio forfun, banda que na qual tenho uma ENORME ADIMIRAÇÃO e uma das poucas que nos faça refletir e que realmente fale sobre algo que nos interesse, e algo que falta em muitas pessoas que vejo em cada um deles (Vitor, Danilo, Nicolas e Rodrigo) é a compaixão pelo próximo e a humildade de sempre, desde o inicio da carreira. Deveriam servir de exemplo para muitas destas bandinhas que vem surgindo aí que não tem estrutura e também para essas que que quando alcançaram o ”sucesso” simplesmente se esqueceram de quem eram, sem a mínima humildade. Coisa que esses meninos tem pra dar e vender, grandes mestres. Forfun a mais foda! s2

20 11 2010
Música e Sustentabilidade Ambiental « Let's talk about rock

[…] são: Na imagem já se diz tudo,”Forfun” o nome da banda carioca , que fez um entrevista aqui pro blog, ”Polisenso” o nome do disco , baixando-o você ajuda a […]

12 01 2011
Roberto Crespo

Esses camaradas são nota 10.
Sem mais delongas…
Parabéns à iniciativa e parabéns ao Forrrrfun!
Paz
Namastê.

11 02 2011
Raquel

Muito maneira a entrevista… e realemnte mó sujeira o lance de impostos quanto a música.

Parabéns pela entrevista e pelo blog.
RaquelAmapos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: